Jump to contentJump to page navigation: previous page [access key p]/next page [access key n]
Aplica-se a SUSE Linux Enterprise Server 15 SP1

5 Instalação no IBM Z

Resumo

Este capítulo descreve o procedimento de preparação da instalação do SUSE® Linux Enterprise Server no IBM Z. Ele apresenta todas as informações necessárias para preparar a instalação na LPAR e no z/VM.

5.1 Requisitos do sistema

Esta seção apresenta uma lista de hardwares para IBM Z que são suportados no SUSE Linux Enterprise Server. Em seguida, há uma explicação sobre o nível do MicroCode (MCL) usado no sistema IBM Z, que é muito importante para a instalação. O software adicional a ser instalado e usado para instalação é mencionado no final desta seção.

5.1.1 Hardware

O SUSE Linux Enterprise Server foi executado com êxito nas seguintes plataformas:

  • IBM zEnterprise EC12 (zEC12) (2827)

  • IBM zEnterprise BC12 (zBC12) (2828)

  • IBM z13 (2964)

  • IBM z13s (2965)

  • IBM LinuxONE Emperor (2964)

  • IBM LinuxONE Rockhopper (2965)

  • IBM z14 (3906)

  • IBM z14 ZR1 (3907)

  • IBM LinuxONE Emperor II (3906)

  • IBM LinuxONE Rockhopper II (3907)

5.1.1.1 Requisitos de memória

Diferentes métodos de instalação têm diferentes requisitos de memória durante a instalação. Ao término da instalação, o administrador do sistema poderá reduzir a memória ao tamanho desejado. No caso do SUSE, é recomendável usar:

1 GB

Para instalação no z/VM.

1 GB

Para instalação no LPAR.

1 GB

Para instalação no KVM.

Nota
Nota: Requisitos de memória com fontes de instalação remotas

Para instalação de fontes NFS, FTP ou SMB ou sempre que o VNC for usado, a memória mínima de 512 MB será necessária. Do contrário, haverá mais probabilidade de falha na tentativa de instalação. Observe ainda que o número de dispositivos visíveis para o convidado z/VM ou para a imagem LPAR afeta os requisitos de memória. A instalação com literalmente centenas de dispositivos acessíveis (mesmo que não sejam utilizados para a instalação) pode exigir mais memória.

5.1.1.2 Requisitos de espaço em disco

Os requisitos de disco dependem bastante da instalação. Normalmente, você precisará de mais espaço do que o próprio software de instalação para que um sistema funcione de forma adequada. Estes são os requisitos mínimos para diferentes seleções:

Escopo da Instalação

Requisitos Mínimos de Disco Rígido

Modo de Texto

1.5 GB

Sistema Mínimo

2.5 GB

Área de trabalho do GNOME

3 GB

Todos os padrões

4 GB

Mínimo Recomendado (sem instantâneos do Btrfs): 10 GB

Mínimo Necessário (com instantâneos do Btrfs): 16 GB

Mínimo Recomendado (com instantâneos do Btrfs): 32 GB

5.1.1.3 Conexão de rede

A conexão de rede é necessária para comunicação com o sistema SUSE Linux Enterprise Server. Pode ser uma ou mais das seguintes conexões ou placas de rede:

  • OSA Express Ethernet (incluindo Fast e Gigabit Ethernet)

  • HiperSockets ou Guest LAN

  • 10 GBE, VSWITCH

  • RoCE (RDMA por Ethernet Convergida)

As interfaces a seguir ainda são incluídas, mas não são mais aceitas:

  • CTC (ou CTC virtual)

  • ESCON

  • Interface de rede IP para IUCV

Para instalações no KVM, verifique se os seguintes requisitos foram atendidos para habilitar o Convidado da VM a acessar a rede de forma transparente:

  • A interface de rede virtual está conectada a uma interface de rede do host.

  • A interface de rede do host está conectada a uma rede da qual o servidor virtual participará.

  • Se o host foi configurado para ter uma conexão de rede redundante agrupando duas portas de rede OSA independentes em uma interface de rede vinculada, o identificador para a interface de rede vinculada é bond0. Ou, quando há mais de uma interface vinculada: bond1, bond2, etc.

  • Se a conexão de rede do host não foi configurada de forma redundante, o identificador da interface de rede única deve ser usado. Ele tem o formato enccw0.0NNNN, em que NNNN é o número do dispositivo da interface de rede desejada.

5.1.2 Nível do MicroCode, APARs e correções

Você encontra a documentação sobre restrições e requisitos para esta versão do SUSE Linux Enterprise Server no IBM developerWorks em http://www.ibm.com/developerworks/linux/linux390/documentation_suse.html. É recomendável usar sempre o nível de serviço mais elevado disponível. Contate o suporte da IBM para saber quais são os requisitos mínimos.

Para z/VM, as seguintes versões são suportadas:

  • z/VM 6.4

Verifique com o suporte IBM qual deve ser a ordem de instalação porque pode ser necessário ativar VM APARs antes de instalar os novos níveis do MicroCode.

5.1.3 Software

Ao instalar o SUSE Linux Enterprise Server por NFS ou FTP não baseado em Linux, você talvez tenha problemas com o software do servidor NFS ou FTP. O servidor FTP padrão do Windows* pode causar erros, portanto, a instalação via SMB nessas máquinas geralmente é recomendada.

Para conectar-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server, um dos seguintes métodos é necessário (SSH ou VNC é recomendado):

SSH com emulação de terminal (compatível com xterm)

SSH é uma ferramenta padrão Unix que deve estar presente em qualquer sistema Unix ou Linux. Para Windows, há um cliente SSH chamado Putty. Seu uso é gratuito e ele está disponível em http://www.chiark.greenend.org.uk/~sgtatham/putty/.

Cliente VNC

No caso do Linux, um cliente VNC chamado vncviewer está incluído no SUSE Linux Enterprise Server como parte do pacote tightvnc. No caso do Windows, TightVNC também está disponível. Faça seu download de http://www.tightvnc.com/.

Servidor X

Localize uma implementação de servidor X adequada em qualquer estação de trabalho Linux ou Unix. Há vários ambientes comerciais do X Window System para Windows e macOS*. É possível fazer download de versões de avaliação gratuitas de alguns deles. Uma versão de avaliação do Mocha X Server da MochaSoft pode ser obtida em http://www.mochasoft.dk/freeware/x11.htm.

Dica
Dica: Informações adicionais

Consulte o arquivo README localizado no diretório raiz do DVD 1 do SUSE Linux Enterprise Server antes de instalar o SUSE Linux Enterprise Server no IBM Z. Esse arquivo complementa essa documentação.

5.2 Informações Gerais

Esta seção também aborda os diferentes tipos de instalação e explica como fazer uma reinicialização (IPL) para a primeira instalação. Para obter informações técnicas detalhadas sobre o IBM Z no SUSE Linux Enterprise Server, visite http://www.ibm.com/developerworks/linux/linux390/documentation_suse.html.

5.2.1 Tipos de instalação

Esta seção apresenta uma visão geral dos diferentes tipos de instalação possíveis com o SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z. O SUSE Linux Enterprise Server pode ser instalado em um LPAR, como convidado no z/VM ou como convidado no KVM.

Dependendo do modo de instalação (LPAR ou z/VM), haverá diferentes possibilidades para iniciar o processo de instalação e reinicializar (IPL) o sistema instalado.

5.2.1.1 LPAR

Se você instalar o SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z em uma partição lógica (LPAR), atribua memória e processadores à instância. A instalação na LPAR é recomendada para máquinas de produção altamente carregadas. A execução do LPAR também disponibiliza padrões de segurança mais altos. O projeto de rede entre LPARs é possível por interfaces externas ou HiperSockets. Se você pretende usar a instalação para virtualização com KVM, é altamente recomendável instalar no LPAR.

5.2.1.2 z/VM

A execução do SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z no z/VM significa que o SUSE Linux Enterprise Server é um sistema convidado no z/VM. Uma vantagem deste modo é que você tem controle total sobre o SUSE Linux Enterprise Server do z/VM. Isso é muito útil para desenvolvimento de kernel ou depuração baseada em kernel. É também muito fácil adicionar ou remover hardware de convidados Linux. A criação de convidados adicionais do SUSE Linux Enterprise Server é simples, e você pode executar centenas de instâncias do Linux simultaneamente.

5.2.1.3 Convidado do KVM

Para que seja possível instalar o SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z como um convidado KVM, é necessário instalar uma instância de servidor de host KVM na LPAR. Para obter detalhes sobre a instalação no convidado, consulte Procedimento 5.3, “Visão geral da instalação no convidado do KVM”.

5.2.2 Opções de IPL

Esta seção fornece as informações necessárias para reinicializar (IPL) na primeira instalação. Dependendo do tipo de instalação, várias opções devem ser usadas. As opções abordadas são: leitor de VM, carregar do CD-ROM ou do servidor e carregar de um DVD-ROM conectado a SCSI. A instalação dos pacotes de software, que é feita via rede, não exige o meio de IPL.

5.2.2.1 Leitor VM

Para reinicializar (IPL) de um leitor de VM, primeiro transfira os arquivos necessários para o leitor. Para facilitar a administração, é recomendável criar um usuário linuxmnt que possua um minidisco com os arquivos e scripts necessários para a IPL. Esse minidisco é então acessado como apenas leitura pelos convidados Linux. Para obter os detalhes, consulte o Seção 5.3.4.2.1, “Reinicialização (IPL) do leitor z/VM”.

5.2.2.2 Carregar da mídia removível ou do servidor

Para preparar reinicialização (IPL) em uma LPAR, é possível carregar a imagem de kernel diretamente do dispositivo de CD/DVD-ROM do SE ou HMC, ou de qualquer sistema remoto acessível por FTP. Esta função pode ser realizada no HMC. O processo de instalação exige um arquivo com mapeamento do local dos dados de instalação no sistema de arquivos e os locais da memória em que os dados devem ser copiados.

Para o SUSE Linux Enterprise Server, há dois desses arquivos. Ambos estão localizados no diretório raiz do sistema de arquivos do DVD 1:

  • suse.ins, para que ele funcione, é necessário configurar o acesso à rede no Linuxrc antes de iniciar a instalação.

  • susehmc.ins, que permite a instalação sem acesso à rede.

No painel de navegação esquerdo do HMC, expanda Systems Management (Gerenciamento de Sistemas) Systems (Sistemas) e selecione o sistema mainframe com o qual trabalhar. Escolha o LPAR no qual deseja inicializar o SUSE Linux Enterprise Server na tabela de LPARs e selecione Load from Removable Media or Server (Carregar da Mídia Removível ou do Servidor).

Escolha Hardware Management Console CD-ROM/DVD (CD-ROM/DVD do Console de Gerenciamento de Hardware) ou FTP Source (Origem do FTP). Se escolher a última opção, forneça o endereço ou nome dos servidores e suas credenciais. Caso o arquivo .ins apropriado não esteja localizado no diretório raiz do servidor, especifique o caminho para esse arquivo. Prossiga para o menu Select the software to load (Selecionar o software para carregar) e selecione a entrada .ins apropriada. Inicie a instalação clicando em OK.

5.2.2.3 Carregar do DVD conectado a SCSI

Para executar a IPL de um DVD SCSI, você precisa de acesso a um adaptador FCP conectado a uma unidade de DVD. Você precisa de valores para WWPN e LUN da unidade de SCSI. Para obter os detalhes, consulte a Seção 5.3.4.1.2, “Reinicialização (IPL) do DVD SCSI conectado a FCP”.

5.2.2.4 Carregamento da rede com zPXE

A reinicialização (IPL) da Rede com zPXE requer um servidor Cobbler que forneça o kernel, o disco de RAM e um parmfile. Ele é iniciado executando o script ZPXE EXEC. Consulte a Seção 5.3.1.3, “Usando um servidor Cobbler para o zPXE” para obter os detalhes. O zPXE só está disponível em z/VM.

5.3 Preparando para a instalação

Aprenda como tornar os dados acessíveis para instalação, instalar o SUSE Linux Enterprise Server usando métodos diferentes, preparar e usar a reinicialização (IPL) do sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server. Também saberá mais sobre configuração e instalação de rede.

5.3.1 Disponibilizando os dados de instalação

Esta seção apresenta informações detalhadas sobre como tornar os dados de instalação do SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z acessíveis para instalação. Dependendo do seu computador e ambiente de sistema, escolha entre a instalação via NFS ou FTP. Se estiver executando estações de trabalho do Microsoft Windows no ambiente, você também poderá usar a rede do Windows (inclusive o protocolo SMB) para instalar o SUSE Linux Enterprise Server no sistema IBM Z.

Dica
Dica: Reinicialização (IPL) do DVD

É possível fazer a reinicialização (IPL) de um DVD e usar o DVD como meio de instalação. Isso é muito prático quando você tem restrições de configuração do servidor de instalação que fornece as mídias de instalação pela rede. O pré-requisito é uma unidade de DVD SCSI conectada a FCP.

Nota
Nota: Sem instalação do disco rígido

Não é possível instalar por disco rígido inserindo o conteúdo do DVD em uma partição no DASD.

5.3.1.1 Usando uma estação de trabalho Linux ou o DVD do SUSE Linux Enterprise Server

Se você tem uma estação de trabalho do Linux em execução no ambiente do computador, use-a para enviar os dados de instalação ao processo de instalação do IBM Z por NFS ou FTP. Se a estação de trabalho Linux for executada no SUSE Linux Enterprise Server, você poderá configurar o servidor de instalação (NFS ou FTP) usando o módulo do YaST Servidor de Instalação, conforme descrito na Seção 14.1, “Configurando um servidor de instalação usando YaST”.

5.3.1.1.1 Por NFS

Use o NFS (sistema de arquivos de rede) para tornar a mídia de instalação disponível.

Importante
Importante: Exportando dispositivos montados com o NFS

A exportação da raiz do sistema de arquivos (/) não implica exportar dispositivos montados, como DVD. Nomeie explicitamente o ponto de montagem em /etc/exports:

/media/dvd  *(ro)

Após mudar esse arquivo, reinicie o servidor NFS com o comando sudo systemctl restart nfsserver.

5.3.1.1.2 Por FTP

A configuração de um servidor FTP em um sistema Linux envolve a instalação e configuração do software do servidor, como vsftpd. Se você usa oSUSE Linux Enterprise Server, consulte o Chapter 39, Setting Up an FTP Server with YaST para obter instruções de instalação. O download dos dados de instalação com login anônimo não é suportado, portanto, você precisa configurar o servidor FTP para suportar a autenticação do usuário.

5.3.1.1.3 SUSE Linux Enterprise Server no DVD

O DVD1 do SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z contém uma imagem do Linux inicializável para estações de trabalho baseadas em Intel e uma imagem para o IBM Z.

Para as estações de trabalho baseadas em Intel, inicialize desse DVD, responda às perguntas relativas ao seu idioma e layout de teclado e selecione Iniciar sistema de resgate. Você precisa de pelo menos 64 MB de RAM para isso. Nenhum espaço em disco é necessário porque todo o sistema de recuperação reside na RAM da estação de trabalho. Este método requer alguma experiência com Linux e rede, porque você precisa configurar a rede da estação de trabalho manualmente.

Para o IBM Z, reinicialize (IPL) seu convidado LPAR/VM por esse DVD, conforme descrito na Seção 5.3.4.1.2, “Reinicialização (IPL) do DVD SCSI conectado a FCP”. Após digitar seus parâmetros de rede, o sistema de instalação tratará o DVD como a origem dos dados de instalação. Como o IBM Z não pode ter um terminal compatível com X11 diretamente conectado, escolha entre a instalação por VNC ou SSH. O SSH também oferece uma instalação gráfica através do túnel da conexão X por meio de SSH com ssh -X.

5.3.1.2 Usando uma estação de trabalho do Microsoft Windows

Se houver uma estação de trabalho Microsoft Windows disponível na sua rede, use esse computador para tornar a mídia de instalação disponível. A maneira mais fácil de fazer isso é usando o protocolo SMB, já incluído no sistema operacional Windows. Verifique se você ativou SMB over TCP/IP (SMB sobre TCP/IP) já que habilita o encapsulamento de pacotes SMB em pacotes TCP/IP. Os detalhes podem ser encontrados na ajuda online do Windows ou em outra documentação relacionada ao Windows que aborde redes. Outra opção é usar FTP. Isso também requer algum software de terceiros para Windows.

5.3.1.2.1 Com SMB

Para tornar a mídia de instalação disponível via SMB, insira o DVD 1 do SUSE Linux Enterprise Server na unidade de DVD da estação de trabalho Windows. Em seguida, crie um novo compartilhamento usando a letra da unidade de DVD-ROM e disponibilize-a para todos na rede.

O caminho de instalação no YaST pode ser:

smb://DOMAIN;USER:PW@SERVERNAME/SHAREPATH

Em que os marcadores significam:

DOMAIN

Grupo de trabalho opcional ou domínio de diretório ativo.

USER , PW

Nome de usuário e senha opcionais de um usuário com acesso ao servidor e seu compartilhamento.

SERVERNAME

O nome do servidor que hospeda o(s) compartilhamento(s).

SHAREPATH

O caminho para o(s) compartilhamento(s).

5.3.1.2.2 Com NFS

Consulte a documentação fornecida com o produto de terceiros que habilita os serviços do servidor NFS para a estação de trabalho do Windows. A unidade de DVD-ROM usada para os DVDs do SUSE Linux Enterprise Server deve estar no caminho do NFS disponível.

5.3.1.2.3 Com FTP

Consulte a documentação fornecida com o produto de terceiros que habilita os serviços do servidor FTP para a estação de trabalho do Windows. A unidade de DVD-ROM usada para os DVDs do SUSE Linux Enterprise Server deve estar no caminho do FTP disponível.

O servidor FTP que acompanha algumas versões do Microsoft Windows implementa apenas um subconjunto de comandos do FTP e não é adequado para fornecimento dos dados de instalação. Se isso se aplicar à sua estação de trabalho do Windows, use um servidor FTP de terceiro que tenha os recursos necessários.

5.3.1.2.4 Usando uma unidade de DVD SCSI conectada a FCP

Depois que você preparar a IPL do DVD SCSI conforme descrito na Seção 5.2.2.3, “Carregar do DVD conectado a SCSI”, o sistema de instalação usará o DVD como a mídia de instalação. Nesse caso, você não precisará da mídia de instalação em um servidor FTP, NFS ou SMB. Entretanto, você precisará dos dados de configuração de rede para o SUSE Linux Enterprise Server, pois deverá configurar a rede durante a instalação para realizar uma instalação gráfica por VNC ou por X.

5.3.1.3 Usando um servidor Cobbler para o zPXE

A reinicialização (IPL) da rede requer um servidor Cobbler para fornecer o kernel, o initrd e os dados de instalação. A preparação do servidor Cobbler requer quatro etapas:

  • Importação dos dados de instalação

  • Adição de uma distribuição

  • Adição de perfis

  • Adição de sistemas

5.3.1.3.1 Importação dos dados de instalação

A importação da mídia exige uma fonte de instalação disponível no servidor Cobbler, seja de DVD ou de uma fonte de rede. Execute o seguinte comando para importar os dados:

tux > sudo cobbler import --path=PATH1 --name=IDENTIFIER2 --arch=s390x

1

Ponto de montagem dos dados de instalação.

2

Uma string que identifica o produto importado, por exemplo sles15_s390x. Essa string é usada como o nome do subdiretório no qual os dados da instalação são copiados. No servidor Cobbler executado no SUSE Linux Enterprise, trata-se do /srv/www/cobbler/ks_mirror/IDENTIFICADOR. Esse caminho poderá ser diferente se o Cobbler for executado em outro sistema operacional.

5.3.1.3.2 Adição de uma distribuição

Adicionando uma distribuição, você solicita ao Cobbler para fornecer o kernel e o initrd necessários para reinicialização (IPL) via zPXE. Execute o seguinte comando no servidor Cobbler para adicionar o SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z:

tux > sudo cobbler distro add --arch=s390 --breed=suse --name="IDENTIFIER"1 \
  --os-version=sles152 \
  --initrd=/srv/www/cobbler/ks_mirror/IDENTIFIER/boot/s390x/initrd3 \
  --kernel=/srv/www/cobbler/ks_mirror/IDENTIFIER/boot/s390x/linux4 \
  --kopts="install=http://cobbler.example.com/cobbler/ks_mirror/IDENTIFIER"5

1

Identificador personalizado para a distribuição. Por exemplo, SLES 15 SP1 IBM Z. Deve ser exclusivo.

2

Identificador do sistema operacional. Use sles15.

3

Caminho para o initrd. A primeira parte do caminho (/srv/www/cobbler/ks_mirror/IDENTIFICADOR/) depende do local para onde o Cobbler importou os dados e do nome do subdiretório escolhido na hora de importar os dados de instalação.

4

Caminho para o kernel. A primeira parte do caminho (/srv/www/cobbler/ks_mirror/IDENTIFICADOR/) depende do local para onde o Cobbler importou os dados e do nome do subdiretório escolhido na hora de importar os dados de instalação.

5

URL para o diretório de instalação no servidor Cobbler.

5.3.1.3.3 Ajustando o perfil

Ao adicionar uma distribuição (consulte a Seção 5.3.1.3.2, “Adição de uma distribuição”), é gerado automaticamente um perfil com o IDENTIFICADOR correspondente. Use o seguinte comando para fazer alguns ajustes necessários:

tux > sudo cobbler distro edit \
--name=IDENTIFIER1 --os-version=sles102 --ksmeta=""3
--kopts="install=http://cobbler.example.com/cobbler/ks_mirror/IDENTIFIER"4

1

Identificador do perfil. Use a mesma string que foi especificada quando a distribuição foi adicionada.

2

Versão do sistema operacional. Distribuição à qual o perfil deve se aplicar. Use aqui a string especificada com --name=IDENTIFICADOR na etapa de importação.

3

Opção necessária para criar gabarito de arquivos kickstart. Não é usada no SUSE, portanto, defina-a como um valor vazio, conforme especificado no exemplo.

4

Lista de parâmetros do kernel separados por espaço. No mínimo, ela deve incluir o parâmetro install, conforme mostrado no exemplo.

5.3.1.3.4 Adição de sistemas

A última etapa necessária é adicionar sistemas ao servidor Cobbler. A adição do sistema precisa ser feita para cada convidado IBM Z que deve ser inicializado pelo zPXE. Os convidados são identificados por seu ID de usuário z/VM (no exemplo a seguir, é assumido um ID chamado linux01). Observe que esse ID precisa ser uma string com letras minúsculas. Para adicionar um sistema, execute o seguinte comando:

tux > sudo cobbler system add --name=linux01 --hostname=linux01.example.com \
--profile=IDENTIFIER --interface=qdio \
--ip-address=192.168.2.103 --subnet=192.168.2.255 --netmask=255.255.255.0 \
--name-servers=192.168.1.116 --name-servers-search=example.com \
--gateway=192.168.2.1 --kopts="KERNEL_OPTIONS"

Com a opção --kopts, é possível especificar o kernel e os parâmetros de instalação que você normalmente especifica no parmfile. Os parâmetros são inseridos como uma lista separada por espaço no formato PARÂMETRO1=VALOR1 PARÂMETRO2=VALOR2. O instalador solicitará os parâmetros ausentes. Para uma instalação completamente automatizada, você precisa especificar todos os parâmetros para o projeto de rede, os DASDs e fornecer um arquivo do AutoYaST. Veja a seguir um exemplo de um convidado equipado com uma interface OSA que usa os mesmos parâmetros de rede mencionados acima.

--kopts=" \
AutoYaST=http://192.168.0.5/autoinst.xml \
Hostname=linux01.example.com \
Domain=example.com \
HostIP=192.168.2.103 \
Gateway=192.168.2.1 \
Nameserver=192.168.1.116 \
Searchdns=example.com \
InstNetDev=osa; \
Netmask=255.255.255.0 \
Broadcast=192.168.2.255 \
OsaInterface=qdio \
Layer2=0 \
PortNo=0 \
ReadChannel=0.0.0700 \
WriteChannel=0.0.0701 \
DataChannel=0.0.0702 \
DASD=600"

5.3.1.4 Instalando de DVD ou disco Flash do HMC

Para instalar o SUSE Linux Enterprise Server em servidores IBM Z, geralmente é necessária uma fonte de instalação de rede. No entanto, em alguns ambientes, esse requisito talvez não possa ser atendido. Com o SUSE Linux Enterprise Server , você pode usar o DVD ou o disco flash existente do HMC (Hardware Management Console – Console de Gerenciamento de Hardware) como uma fonte para instalação na LPAR.

Para instalar da mídia de DVD ou disco flash do HMC, faça o seguinte:

Importante
Importante: Configurar rede

Não se esqueça de configurar a rede em linuxrc antes de iniciar a instalação. Não é possível enviar os parâmetros de boot mais tarde, e é muito provável que seja necessário o acesso à rede. No linuxrc, vá para Iniciar Instalação e escolha Configuração da Rede.

Importante
Importante: O sistema Linux deve ser inicializado primeiro

Antes de conceder acesso à mídia de DVD ou disco flash do HMC, aguarde a inicialização do sistema Linux. A reinicialização (IPL) pode interromper a conexão entre o HMC e a LPAR. Se a primeira tentativa de usar o método descrito falhar, você poderá conceder o acesso e repetir a opção HMC.

Nota
Nota: Repositório de Instalação

Devido à natureza transitória da atribuição, o DVD ou os arquivos de disco flash não serão mantidos como um repositório para instalação. Se for necessário um repositório de instalação, registre-se e use o repositório online.

5.3.2 Tipos de instalação

Esta seção apresenta informações sobre as etapas que devem ser realizadas para instalar o SUSE Linux Enterprise Server para cada modo de instalação e onde encontrar as informações apropriadas. Após concluir as etapas de preparação descritas nos capítulos anteriores, siga a visão geral de instalação do modo de instalação desejado para instalar o SUSE Linux Enterprise Server no sistema.

Conforme descrito na Seção 5.3.1, “Disponibilizando os dados de instalação”, há três modos de instalação diferentes para Linux no IBM Z:

  • Instalação na LPAR

  • Instalação no z/VM

  • Instalação no convidado do KVM

Procedimento 5.1: Visão geral da instalação na LPAR
  1. Prepare os dispositivos necessários para instalação. Consulte a Seção 5.3.3.1, “Preparando a reinicialização (IPL) de uma instalação na LPAR”.

  2. Reinicialize (IPL) o sistema de instalação. Consulte a Seção 5.3.4.1, “Reinicializando (IPL) uma instalação na LPAR”.

  3. Configure a rede. Consulte a Seção 5.3.5, “Configuração de rede”.

  4. Conecte-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server. Consulte a Seção 5.3.6, “Conectando-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server.

  5. Inicie a instalação usando o YaST e reinicialize (IPL) o sistema instalado. Consulte o Capítulo 8, Etapas de instalação.

Procedimento 5.2: Visão geral da instalação z/VM
  1. Prepare os dispositivos necessários para instalação. Consulte a Seção 5.3.3.2, “Adicionando o convidado Linux ao z/VM”.

  2. Reinicialize (IPL) o sistema de instalação. Consulte a Seção 5.3.4.2, “Reinicializando (IPL) uma instalação no z/VM”.

  3. Configure a rede. Consulte a Seção 5.3.5, “Configuração de rede”.

  4. Conecte-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server. Consulte a Seção 5.3.6, “Conectando-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server.

  5. Inicie a instalação usando o YaST e reinicialize (IPL) o sistema instalado. Consulte a Capítulo 8, Etapas de instalação.

Procedimento 5.3: Visão geral da instalação no convidado do KVM
  1. Crie uma imagem de disco virtual e grave um arquivo XML de domínio. Consulte a Seção 5.3.3.3, “Preparando a reinicialização (IPL) de uma instalação no convidado do KVM”.

  2. Prepare o destino da instalação e reinicialize (IPL) o Convidado da VM. Consulte a Seção 5.3.4.3, “Reinicializando (IPL) uma instalação no convidado do KVM”.

  3. Seção 5.3.5.3, “Configurar a rede e selecionar a fonte de instalação”.

  4. Conecte-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server. Consulte a Seção 5.3.6, “Conectando-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server.

  5. Inicie a instalação usando o YaST e reinicialize (IPL) o sistema instalado. Consulte a Capítulo 8, Etapas de instalação.

5.3.3 Preparando a reinicialização (IPL) do sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server

5.3.3.1 Preparando a reinicialização (IPL) de uma instalação na LPAR

Configure o sistema IBM Z para ser iniciado no modo ESA/S390 ou apenas Linux com o perfil de ativação e IOCDS apropriados. Consulte a documentação da IBM para obter mais dados sobre como realizar essa tarefa. Avance para a Seção 5.3.4.1, “Reinicializando (IPL) uma instalação na LPAR”.

5.3.3.2 Adicionando o convidado Linux ao z/VM

A primeira etapa é anexar e formatar um ou vários DASDs no sistema a ser usado pelo convidado Linux no z/VM. Em seguida, crie um novo usuário no z/VM. O exemplo mostra o diretório para um usuário LINUX1 com a senha LINPWD, 1 GB de memória (extensível até 2 GB), 32 MB de RAM expandida (XSTORE), vários minidiscos (MDISK), duas CPUs e um dispositivo OSA QDIO.

Dica
Dica: Atribuindo memória a convidados z/VM

Ao atribuir memória a um convidado z/VM, verifique se o tamanho da memória é adequado às necessidades do seu tipo de instalação preferido. Consulte a Seção 5.1.1.1, “Requisitos de memória”. Para definir o tamanho de memória para 1 GB, use o comando CP DEFINE STORAGE 1G. Após a conclusão da instalação, redefina o tamanho da memória para o valor desejado.

Exemplo 5.1: Configuração de um diretório z/VM
USER LINUX1 LINPWD 1024M 2048M G
*____________________________________________
* LINUX1
*____________________________________________
* This VM Linux guest has two CPUs defined.

CPU 01 CPUID 111111
CPU 02 CPUID 111222
IPL CMS PARM AUTOCR
IUCV ANY
IUCV ALLOW
MACH ESA 10
OPTION MAINTCCW RMCHINFO
SHARE RELATIVE 2000
CONSOLE 01C0 3270 A
SPOOL 000C 2540 READER *
SPOOL 000D 2540 PUNCH A
SPOOL 000E 3203 A
* OSA QDIO DEVICE DEFINITIONS
DEDICATE 9A0 9A0
DEDICATE 9A1 9A1
DEDICATE 9A2 9A2
*
LINK MAINT 0190 0190 RR
LINK MAINT 019E 019E RR
LINK MAINT 019D 019D RR
* MINIDISK DEFINITIONS
MDISK 201 3390 0001 0050 DASD40 MR ONE4ME TWO4ME THR4ME
MDISK 150 3390 0052 0200 DASD40 MR ONE4ME TWO4ME THR4ME
MDISK 151 3390 0253 2800 DASD40 MR ONE4ME TWO4ME THR4ME

Este exemplo usa o minidisco 201 como disco pessoal do convidado. O minidisco 150 com 200 cilindros é o dispositivo de troca do Linux. O disco 151 com 2800 cilindros mantém a instalação do Linux.

Agora adicione (como usuário MAINT) o convidado ao diretório de usuário com DIRM FOR LINUX1 ADD. Digite o nome do convidado (LINUX1) e pressione F5. Configure o ambiente do usuário com:

DIRM DIRECT
DIRM USER WITHPASS

O último comando retorna um número de arquivo de leitor. Este número é necessário para o próximo comando:

RECEIVE <number> USER DIRECT A (REPL)

Agora, você pode efetuar login no convidado como o usuário LINUX1.

Se não tiver a opção dirmaint disponível, consulte a documentação da IBM para configurar esse usuário.

Avance para a Seção 5.3.4.2, “Reinicializando (IPL) uma instalação no z/VM”.

5.3.3.3 Preparando a reinicialização (IPL) de uma instalação no convidado do KVM

A instalação do convidado KVM requer um arquivo XML de domínio que define a máquina virtual e pelo menos uma imagem de disco virtual para a instalação.

5.3.3.3.1 Criar uma imagem de disco virtual

Por padrão, o libvirt procura imagens de disco em /var/lib/libvirt/images/ no Servidor de Host VM. Embora as imagens também possam ser armazenadas em qualquer outro lugar no sistema de arquivos, é recomendável armazenar todas as imagens em um único local para facilitar a manutenção. O exemplo a seguir cria uma imagem qcow2 de 10 GB em /var/lib/libvirt/images/. Para obter mais informações, consulte o Section 31.2, “Managing Disk Images with qemu-img.

  1. Efetue login no servidor de host KVM.

  2. Execute o comando a seguir para criar a imagem:

    tux > sudo qemu-img create -f qcow2 /var/lib/libvirt/images/s15lin_qcow2.img 10G
5.3.3.3.2 Gravar um arquivo XML de domínio

Um arquivo XML de domínio é usado para definir o Convidado da VM. Para criar o arquivo XML de domínio, abra um arquivo s15-1.xml vazio com um editor e crie um arquivo, como no exemplo a seguir.

Exemplo 5.2: Exemplo de arquivo XML de domínio

O exemplo a seguir cria um Convidado da VM com um única CPU, 1 GB de RAM e a imagem do disco virtual criada na seção anterior (Seção 5.3.3.3.1, “Criar uma imagem de disco virtual”). Ele assume que a interface de rede do host à qual o servidor virtual está conectado é bond0. Mude o elemento dos dispositivos de origem para corresponder à sua configuração de rede.

<domain type="kvm">
 <name>s15-1</name>
 <description>Guest-System SUSE SLES15</description>
 <memory>1048576</memory>
 <vcpu>1</vcpu>
 <os>
  <type arch="s390x" machine="s390-ccw-virtio">hvm</type>
  <!-- Boot kernel - remove 3 lines after successfull installation -->
  <kernel>/var/lib/libvirt/images/s15-kernel.boot</kernel>
  <initrd>/var/lib/libvirt/images/s15-initrd.boot</initrd>
  <cmdline>linuxrcstderr=/dev/console</cmdline>
 </os>
 <iothreads>1</iothreads>
 <on_poweroff>destroy</on_poweroff>
 <on_reboot>restart</on_reboot>
 <on_crash>preserve</on_crash>
 <devices>
  <emulator>/usr/bin/qemu-system-s390x</emulator>
  <disk type="file" device="disk">
   <driver name="qemu" type="qcow2" cache="none" iothread="1" io="native"/>
   <source file="/var/lib/libvirt/images/s15lin_qcow2.img"/>
   <target dev="vda" bus="virtio"/>
  </disk>
  <interface type="direct">
   <source dev="bond0" mode="bridge"/>
   <model type="virtio"/>
  </interface>
  <console type="pty">
   <target type="sclp"/>
  </console>
 </devices>
</domain>

5.3.4 Reinicializando (IPL) o sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server

5.3.4.1 Reinicializando (IPL) uma instalação na LPAR

Há várias formas de reinicializar (IPL) o SUSE Linux Enterprise Server em um LPAR. A preferida é usar o recurso Carregar do CD-ROM ou do servidor do SE ou do HMC.

5.3.4.1.1 IPL do DVD-ROM

Marque o LPAR para instalação e selecione Carregar do CD-ROM ou do servidor. Deixe o campo do local de arquivo em branco ou digite o caminho do diretório root do primeiro DVD-ROM e selecione para continuar. Na lista de opções exibida, escolha a seleção padrão. Agora, a opção Operating system messages (Mensagens do sistema operacional) deveria mostrar as mensagens de inicialização do kernel.

5.3.4.1.2 Reinicialização (IPL) do DVD SCSI conectado a FCP

Você pode usar o procedimento Carregar, selecionando SCSI como Tipo de carga para reinicializar (IPL) do SCSI. Digite o WWPN (Worldwide port name — nome de porta mundial) e o LUN (Logical unit number — número da unidade lógica) fornecidos pelo armazenamento ou ponte SCSI (16 dígitos, sem omitir os 0s à direita). O seletor do programa de boot deve ser 2. Use seu adaptador FCP como Endereço de carregamento e execute uma reinicialização (IPL).

5.3.4.2 Reinicializando (IPL) uma instalação no z/VM

Esta seção explica a reinicialização (IPL) do sistema de instalação para instalar o SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z em um sistema z/VM.

5.3.4.2.1 Reinicialização (IPL) do leitor z/VM

Para transferir o sistema de instalação via FTP, é necessário ter uma conexão TCP/IP ativa e um programa cliente de FTP em seu convidado z/VM recém-definido. A configuração de TCP/IP para z/VM está fora do escopo deste manual. Consulte a documentação apropriada da IBM.

Efetue login como convidado z/VM Linux para IPL. Disponibilize o conteúdo do diretório /boot/s390x da mídia do Instalador (DVD1) por FTP na sua rede. Nesse diretório, obtenha os arquivos linux, initrd, parmfile e sles.exec. Transfira os arquivos com um tamanho de bloco fixo de 80 caracteres. Especifique-o com o comando FTP locsite fix 80. É importante copiar o linux (o kernel do Linux) e o initrd (a imagem de instalação) como arquivos binários; portanto, use o modo de transferência binário. parmfile e sles.exec devem ser transferidos no modo ASCII.

O exemplo mostra as etapas necessárias. Neste exemplo, os arquivos necessários são acessíveis de um servidor FTP no endereço IP 192.168.0.3 e o login é lininst. Poderá diferir para a sua rede.

Exemplo 5.3: Transferindo os binários via FTP
FTP 192.168.0.3
VM TCP/IP FTP Level 530
Connecting to 192.168.0.3, port 21
220 ftpserver FTP server (Version wu-2.4.2-academ[BETA-18](1)
Thu Feb 11 16:09:02 GMT 2010) ready.
USER
lininst
331 Password required for lininst
PASS
******
230 User lininst logged in.
Command:
binary
200 Type set to I
Command:
locsite fix 80
Command:
get /media/dvd1/boot/s390x/linux sles15.linux
200 PORT Command successful
150 Opening BINARY mode data connection for /media/dvd1/boot/s390x/linux
(10664192 bytes)
226 Transfer complete.
10664192 bytes transferred in 13.91 seconds.
Transfer rate 766.70 Kbytes/sec.
Command:
get /media/dvd1/boot/s390x/initrd sles12.initrd
200 PORT Command successful
150 Opening BINARY mode data connection for /media/dvd1/boot/s390x/initrd
(21403276 bytes)
226 Transfer complete.
21403276 bytes transferred in 27.916 seconds.
Transfer rate 766.70 Kbytes/sec.
Command:
ascii
200 Type set to A
Command:
get /media/dvd1/boot/s390x/parmfile sles12.parmfile
150 Opening ASCII mode data connection for /media/dvd1/boot/s390x/parmfile
(5 bytes)
226 Transfer complete.
5 bytes transferred in 0.092 seconds.
Transfer rate 0.05 Kbytes/sec.
Command:
get /media/dvd1/boot/s390x/sles.exec sles.exec
150 Opening ASCII mode data connection for /media/dvd1/boot/s390x/sles.exec
(891 bytes)
226 Transfer complete.
891 bytes transferred in 0.097 seconds.
Transfer rate 0.89 Kbytes/sec.
Command:
quit

Use o script REXX sles.exec do qual você fez download para reinicializar (IPL) o sistema de instalação do Linux. Esse script inicializa o kernel, parmfile e o disco RAM inicial no leitor para IPL.

Exemplo 5.4: SLES12 EXEC
/* REXX LOAD EXEC FOR SUSE LINUX S/390 VM GUESTS       */
/* LOADS SUSE LINUX S/390 FILES INTO READER            */
SAY ''
SAY 'LOADING SLES12 FILES INTO READER...'
'CP CLOSE RDR'
'PURGE RDR ALL'
'SPOOL PUNCH * RDR'
'PUNCH SLES12 LINUX A (NOH'
'PUNCH SLES12 PARMFILE A (NOH'
'PUNCH SLES12 INITRD A (NOH'
'IPL 00C'

Com este script, é possível reinicializar (IPL) o sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server com o comando sles12. O kernel do Linux é iniciado e imprime suas mensagens de inicialização.

Para continuar a instalação, vá para a Seção 5.3.5, “Configuração de rede”.

5.3.4.2.2 Reinicialização (IPL) do DVD SCSI conectado a FCP

Para reinicializar (IPL) no z/VM, prepare o processo de IPL do SCSI usando o parâmetro SET LOADDEV:

SET LOADDEV PORTNAME 200400E8 00D74E00 LUN 00020000 00000000 BOOT 2

Após definir o parâmetro LOADDEV com os valores adequados, reinicialize (IPL) seu adaptador FCP, por exemplo:

IPL FC00

Para continuar a instalação, continue na Seção 5.3.5, “Configuração de rede”.

5.3.4.2.3 Reinicialização (IPL) de um servidor Cobbler com o zPXE

Para reinicializar (IPL) um servidor Cobbler com o zPXE, você precisa transferir o script zpxe.rexx por FTP do servidor Cobbler para o convidado z/VM. O convidado z/VM precisa de uma conexão TCP/IP ativa e um programa cliente FTP.

Efetue login como convidado Linux no z/VM para reinicializar (IPL) e transferir o script com um tamanho fixo de 80 caracteres no modo ASCII (consulte o Exemplo 5.3, “Transferindo os binários via FTP”). O script zpxe.rexx está disponível no DVD do Instalador em /boot/s390x/zpxe.rexx ou em um servidor Cobbler no SLE em /usr/share/doc/packages/s390-tools/zpxe.rexx.

O zpxe.rexx deve substituir o PROFILE EXEC do convidado. Faça uma cópia de backup do PROFILE EXEC existente e renomeie ZPXE REXX para PROFILE EXEC. Se preferir, chame ZPXE REXX do PROFILE EXEC existente usando uma nova linha com o seguinte conteúdo: 'ZPXE REXX'.

A última etapa é criar um arquivo de configuração ZPXE CONF que informa ao ZPXE REXX qual servidor Cobbler deve ser contatado e em qual disco executar a reinicialização (IPL). Execute xedit zpxe conf a e crie ZPXE CONF com o seguinte conteúdo (substitua os dados de exemplo de acordo):

HOST cobbler.example.com
IPLDISK 600

No próximo login em seu convidado z/VM, o servidor Cobbler será conectado. Se estiver programada uma instalação no servidor Cobbler, ela será executada. Para programar a instalação, execute o seguinte comando no servidor Cobbler:

tux > sudo cobbler system edit --name ID1 --netboot-enabled 12 --profile PROFILENAME3

1

ID do usuário z/VM.

2

Habilitar reinicialização (IPL) da rede.

3

Nome de um perfil existente, consulte a Seção 5.3.1.3.3, “Ajustando o perfil”.

5.3.4.3 Reinicializando (IPL) uma instalação no convidado do KVM

Para iniciar a instalação no convidado, você precisa primeiro iniciar o Convidado da VM definido na Seção 5.3.3.3.1, “Criar uma imagem de disco virtual”. Um pré-requisito para esse procedimento é primeiro disponibilizar o kernel e o initrd necessários para reinicialização (IPL).

5.3.4.3.1 Preparando a fonte de instalação

O Kernel e o initrd do sistema de instalação precisam ser copiados para o Servidor de Host de VM para reinicializar (IPL) o Convidado da VM no sistema de instalação.

  1. Efetue login no host KVM e verifique se você consegue se conectar ao host remoto ou ao dispositivo que funciona como fonte de instalação.

  2. Copie os dois arquivos a seguir da fonte de instalação para /var/lib/libvirt/images/. Se os dados são obtidos de um host remoto, use ftp, sftp ou scp para transferir os arquivos:

    /boot/s390x/initrd
    /boot/s390x/cd.ikr
  3. Renomeie os arquivos no host KVM:

    tux > sudo cd /var/lib/libvirt/images/
    tux > sudo mv initrd s15-initrd.boot
    tux > sudo mv cd.ikr s15-kernel.boot
5.3.4.3.2 Reinicialização (IPL) do convidado da VM

Para reinicializar (IPL) o Convidado da VM, efetue login no host KVM e execute o seguinte comando:

tux > virsh  create s15-1.xml --console

Após a conclusão da inicialização do Convidado da VM, o sistema de instalação será iniciado, e você verá a seguinte mensagem:

Domain s15-1 started
Connected to domain s15-1
Escape character is ^]
Initializing cgroup subsys cpuset
Initializing cgroup subsys cpu
Initializing
cgroup subsys cpuacct
.
.
Please make sure your installation medium is available.
Retry?
0) <-- Back <--
1) Yes
2) No

Resposta 2) Não e escolha Instalação na etapa seguinte. Prossiga conforme descrito na Seção 5.3.5.3, “Configurar a rede e selecionar a fonte de instalação”.

5.3.5 Configuração de rede

Aguarde até que o kernel tenha realizado as suas rotinas de inicialização. Se você estiver instalando em modo básico ou em um LPAR, abra as Mensagens do Sistema Operacional no HMC ou no SE.

Primeiro, escolha Iniciar Instalação no menu principal do linuxrc e, em seguida, Iniciar Instalação ou Atualização para iniciar o processo de instalação. Selecione Rede como o meio de instalação, depois selecione o tipo de protocolo de rede que será usado para a instalação. A Seção 5.3.1, “Disponibilizando os dados de instalação” descreve como disponibilizar os dados de instalação para os diversos tipos de conexões de rede. Atualmente, FTP, HTTP, NFS e SMB/CIFS (compartilhamento de arquivos do Windows) são aceitos.

Escolha agora um dispositivo de rede OSA ou HiperSockets pelo qual receber os dados de instalação na lista de dispositivos disponíveis. Talvez a lista também inclua dispositivos CTC, ESCON ou IUCV, mas eles não são mais suportados no SUSE Linux Enterprise Server.

5.3.5.1 Configurar uma interface do HiperSockets

Selecione um dispositivo Hipersocket na lista de dispositivos de rede. Em seguida, digite os números para os canais de leitura, gravação e dados:

Exemplo 5.5: Tipos de conexão de rede e parâmetros de driver suportados
Choose the network device.

 1) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0600)
 2) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0601)
 3) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0602)
 4) IBM Hipersocket (0.0.0800)
 5) IBM Hipersocket (0.0.0801)
 6) IBM Hipersocket (0.0.0802)
 7) IBM OSA Express Network card (0.0.0700)
 8) IBM OSA Express Network card (0.0.0701)
 9) IBM OSA Express Network card (0.0.0702)
10) IBM OSA Express Network card (0.0.f400)
11) IBM OSA Express Network card (0.0.f401)
12) IBM OSA Express Network card (0.0.f402)
13) IBM IUCV

> 4

Device address for read channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0800]> 0.0.0800

Device address for write channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0801]> 0.0.0801

Device address for data channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0802]> 0.0.0802

5.3.5.2 Configurar um dispositivo OSA Express

Selecione um dispositivo OSA Express na lista de dispositivos de rede e informe o número da porta. Em seguida, digite os números para os canais de leitura, gravação e dados e o nome da porta, se aplicável. Escolha se deseja habilitar o suporte da Camada 2 de OSI.

O número da porta foi adicionado para suportar os novos dispositivos de rede OSA Express 3 de 2 portas. Se você não estiver usando um dispositivo OSA Express 3, digite 0. As placas OSA Express também têm a opção de serem executadas em um modo de suporte da camada 2 de OSI ou de usarem o modo de camada 3 mais antigo e comum. O modo de placa afeta todos os sistemas que compartilham o dispositivo, incluindo os sistemas em outros LPARs. Em caso de dúvida, especifique 2 para fins de compatibilidade com o modo padrão usado por outros sistemas operacionais, como z/VM e z/OS. Consulte seu administrador de hardware para obter mais informações sobre essas opções.

Exemplo 5.6: Parâmetros do driver de dispositivos de rede
Choose the network device.

 1) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0600)
 2) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0601)
 3) IBM parallel CTC Adapter (0.0.0602)
 4) IBM Hipersocket (0.0.0800)
 5) IBM Hipersocket (0.0.0801)
 6) IBM Hipersocket (0.0.0802)
 7) IBM OSA Express Network card (0.0.0700)
 8) IBM OSA Express Network card (0.0.0701)
 9) IBM OSA Express Network card (0.0.0702)
10) IBM OSA Express Network card (0.0.f400)
11) IBM OSA Express Network card (0.0.f401)
12) IBM OSA Express Network card (0.0.f402)
13) IBM IUCV

> 7

Enter the relative port number. (Enter '+++' to abort).
> 0

Device address for read channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0700]> 0.0.0700

Device address for write channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0701]> 0.0.0701

Device address for data channel. (Enter '+++' to abort).
[0.0.0702]> 0.0.0702

Enable OSI Layer 2 support?

0) <-- Back <--
1) Yes
2) No

> 1

MAC address. (Enter '+++' to abort).
> +++

5.3.5.3 Configurar a rede e selecionar a fonte de instalação

Depois que todos os parâmetros de dispositivo de rede forem inseridos, o respectivo driver será instalado, e você verá as mensagens do kernel correspondentes.

Em seguida, decida se deseja usar a configuração automática DHCP para configurar os parâmetros de interface de rede. Como o DHCP só funciona em alguns dispositivos e requer configurações de hardware especiais, provavelmente você escolherá NÃO aqui. Ao fazer isso, será solicitado para você informar os seguintes parâmetros de rede:

  • O endereço IP do sistema a ser instalado

  • A máscara de rede correspondente (caso não tenha sido especificada com o endereço IP)

  • O endereço IP de um gateway para acessar o servidor

  • Uma lista dos domínios de pesquisa incluídos no servidor de nomes de domínio (DNS)

  • O endereço IP do servidor de nomes de domínio

Exemplo 5.7: Parâmetros de rede
Automatic configuration via DHCP?

0) <-- Back <--
1) Yes
2) No

> 2

Enter your IP address with network prefix.

You can enter more than one, separated by space, if necessary.
Leave empty for autoconfig.

Examples: 192.168.5.77/24 2001:db8:75:fff::3/64. (Enter '+++' to abort).
> 192.168.0.20/24

Enter your name server IP address.

You can enter more than one, separated by space, if necessary.
Leave empty if you don't need one.

Examples: 192.168.5.77 2001:db8:75:fff::3. (Enter '+++' to abort).
> 192.168.0.1

Enter your search domains, separated by a space:. (Enter '+++' to abort).
> example.com

Enter the IP address of your name server. Leave empty if you do not need one. (En
ter '+++' to abort).
> 192.168.0.1

Por fim, será solicitado para você informar os detalhes sobre o servidor de instalação, como endereço IP, diretório com os dados de instalação e credenciais de login. Depois que todos os dados forem inseridos, o sistema de instalação será carregado.

5.3.6 Conectando-se ao sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server

Após carregar o sistema de instalação, o linuxrc precisará saber o tipo de exibição que você deseja usar para controlar o procedimento de instalação. As escolhas possíveis são X11 (Sistema X Window), VNC (protocolo Virtual Network Computing), SSH (modo de texto ou instalação X11 via Secure Shell) ou Console ASCII. É recomendável selecionar VNC ou SSH.

Quando a última opção é escolhida (Console ASCII), o YaST é iniciado no modo de texto, e você pode executar a instalação diretamente em seu terminal. Consulte o Chapter 5, YaST in Text Mode para obter instruções sobre como usar o YaST no modo de texto. O uso do Console ASCII só é útil quando a instalação é feita no LPAR.

Nota
Nota: Emulação de terminal para o console ASCII

Para trabalhar com o YaST no modo de texto, ele deve ser executado em um terminal com emulação VT220/Linux (também chamado de console ASCII). Você não pode usar o YaST em um terminal 3270, por exemplo.

5.3.6.1 Iniciando a instalação para VNC

Para controlar remotamente uma instalação via VNC, siga estas etapas:

  1. Uma vez escolhida a opção de instalação VNC, o servidor VNC é iniciado. Uma pequena nota exibida no console inclui informações sobre qual endereço IP e número de exibição são necessários para conexão com o vncviewer. Como alternativa, um URL é fornecido aqui para o seu browser habilitado para JavaScript se conectar ao sistema de instalação.

  2. Inicie um aplicativo cliente VNC no sistema cliente. Use o vncviewer ou o cliente JavaScript de VNC e um browser da Web habilitado para JavaScript.

  3. Digite o endereço IP e o número de exibição do sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server quando solicitado.

  4. Se você se conectar por meio de um browser habilitado para JavaScript, digite um URL que contém o endereço IP do sistema de instalação e o número da porta apropriada no formato:

    http://<IP address of installation system>:5801/
  5. Depois que a conexão for estabelecida, comece a instalação do SUSE Linux Enterprise Server com o YaST.

5.3.6.2 Iniciando a instalação para o Sistema X Window

Importante
Importante: Mecanismo de autenticação X

A instalação direta com o Sistema X Window utiliza um mecanismo de autenticação primitivo baseado em nomes de host. Este mecanismo está desabilitado nas versões atuais do SUSE Linux Enterprise Server. É preferível a instalação com SSH ou VNC.

Para controlar remotamente uma instalação por meio do encaminhamento X, siga estas etapas:

  1. Verifique se o servidor X permite que o cliente (o sistema que está instalado) se conecte. Defina a variável DISPLAYMANAGER_XSERVER_TCP_PORT_6000_OPEN="sim" no arquivo /etc/sysconfig/displaymanager. Em seguida, reinicie o servidor X e permita que o cliente se vincule ao servidor usando xhost ENDEREÇO_IP_DO_CLIENTE.

  2. Ao ser solicitado no sistema de instalação, digite o endereço IP da máquina em que o servidor X está sendo executado.

  3. Espere até que o YaST seja aberto e inicie a instalação.

5.3.6.3 Iniciando a instalação para SSH

Para conectar-se a um sistema de instalação chamado earth usando SSH, execute ssh -X earth. Se a sua estação de trabalho é executada no Microsoft Windows, use o cliente SSH e telnet e o emulador de terminal Putty, que está disponível em http://www.chiark.greenend.org.uk/~sgtatham/putty/. Defina Habilitar o encaminhamento X11 no Putty em Conexão › SSH › X11. Se você usa outro sistema operacional, execute ssh -X earth para conectar-se a um sistema de instalação com o nome earth. O Encaminhamento X via SSH será suportado se você tiver um servidor X local disponível. Do contrário, o YaST fornecerá uma interface de texto desenvolvida por ncurses.

Aparece um prompt de login. Digite root e efetue login com a sua senha. Digite yast.ssh para iniciar o YaST. O YaST orientará você durante a instalação.

Continue seguindo a descrição detalhada do procedimento de instalação que pode ser encontrado no Capítulo 8, Etapas de instalação.

5.3.7 Procedimento de boot do SUSE Linux Enterprise Server no IBM Z

No SLES 10 e 11, o processo de boot foi realizado pelo carregador de boot zipl. Para habilitar a inicialização de partições Btrfs e o suporte a rollbacks de sistema com o Snapper, a maneira como o SUSE Linux Enterprise Server é inicializado no IBM Z mudou.

O GRUB 2 substitui o zipl no SUSE Linux Enterprise Server para IBM Z. O GRUB 2 na arquitetura AMD64/Intel 64 inclui os drivers de dispositivo no nível do firmware para acessar o sistema de arquivos. Não há firmware no mainframe, e adicionar o ccw ao GRUB 2, além de ser uma tarefa complexa, exige a reimplementação do zipl no GRUB 2. Portanto, o SUSE Linux Enterprise Server usa uma abordagem de duas fases:

Primeira Fase:

Uma partição separada que inclui o kernel e um initrd é montada em /boot/zipl (algo parecido com /boot/efi nas plataformas UEFI). Esse kernel e o initrd são carregados pelo zipl usando a configuração em /boot/zipl/config.

Essa configuração adiciona a palavra-chave initgrub à linha de comando do kernel. Após o carregamento do kernel e do initrd, o initrd ativará os dispositivos necessários para montar o sistema de arquivos raiz (consulte o /boot/zipl/active_devices.txt). Na sequência, um programa de espaço de usuário do GRUB 2 é iniciado para ler o /boot/grub2/grub.cfg.

Segunda Fase:

O kernel e o initrd especificados no /boot/grub2/grub.cfg são iniciados por meio do comando kexec. Os dispositivos listados em /boot/zipl/active_devices.txt necessários para iniciar o sistema no disco serão ativados. Outros dispositivos dessa lista serão incluídos na lista de permissões; mas, do contrário, serão ignorados. O sistema de arquivos raiz é montado, e o procedimento de boot continua como nas outras arquiteturas.

Para obter mais detalhes sobre o processo de boot, consulte o Chapter 12, Introduction to the Boot Process.

5.4 Parmfile: automatizando a configuração do sistema

O processo de instalação pode ser parcialmente automatizado por meio da especificação de parâmetros cruciais no arquivo parmfile. O parmfile contém todos os dados necessários para a configuração da rede e do DASD. Além disso, esse arquivo pode ser usado para configurar o método de conexão com o sistema de instalação do SUSE Linux Enterprise Server e a instância do YaST em execução nesse local. Portanto, a interação do usuário fica limitada à instalação real do YaST controlada pelas caixas de diálogo dele.

É possível passar os parâmetros a seguir para a rotina de instalação, que os leva à instalação como valores padrão. Todos os endereços IP, nomes de servidor e valores numéricos são exemplos. Substitua esses valores por aqueles necessários no cenário de instalação.

O número de linhas no parmfile é limitado a 10. Especifique mais de um parâmetro em uma linha. Os nomes dos parâmetros não diferenciam maiúsculas de minúsculas. Separe os parâmetros com espaços. Você pode especificá-los em qualquer ordem. Sempre mantenha a string PARAMETER=value junta em uma linha. Por exemplo:

Hostname=s390zvm01.suse.de HostIP=10.11.134.65
Dica
Dica: Usando IPv6 durante a instalação

Por padrão, só é possível atribuir endereços de rede IPv4 à sua máquina. Para habilitar o IPv6 durante a instalação, digite um dos seguintes parâmetros no prompt de boot: ipv6=1 (IPv4 e IPv6 são aceitos) ou ipv6only=1 (apenas IPv6 é aceito).

Alguns parâmetros de boot são necessários. Se estiverem ausentes, o processo automático será pausado e solicitará a entrada do valor manualmente.

Há uma lista dos parâmetros de boot disponíveis no Capítulo 7, Parâmetros de boot.

5.5 Parmfiles de exemplo

A capacidade máxima do parmfile é de 860 caracteres. De acordo com a prática, o parmfile deve incluir no máximo 10 linhas com até 80 caracteres. Ao ler um parmfile, todas as linhas são concatenadas sem adicionar espaços em branco, portanto, o último caractere (80) de cada linha deve ser um Space.

Para receber possíveis mensagens de erro no console, use

linuxrclog=/dev/console
Exemplo 5.8: Parmfile para instalação do NFS com VNC e AutoYaST
ramdisk_size=131072 root=/dev/ram1 ro init=/linuxrc TERM=dumb
instnetdev=osa osainterface=qdio layer2=1 osahwaddr=
pointopoint=192.168.0.1 hostip=192.168.0.2
nameserver=192.168.0.3
install=nfs://192.168.0.4/SLES/SLES-12-Server/s390x/DVD1
autoyast=http://192.168.0.5/autoinst.xml
linuxrclog=/dev/console vnc=1 VNCPassword=testing
Exemplo 5.9: Parmfile para instalação com NFS, SSH e HSI e AutoYaST com NFS
ramdisk_size=131072 root=/dev/ram1 ro init=/linuxrc TERM=dumb
AutoYast=nfs://192.168.1.1/autoinst/s390.xml
Hostname=zsystems.example.com HostIP=192.168.1.2
Gateway=192.168.1.3 Nameserver=192.168.1.4
InstNetDev=hsi layer2=0
Netmask=255.255.255.128 Broadcast=192.168.1.255
readchannel=0.0.702c writechannel=0.0.702d datachannel=0.0.702e
install=nfs://192.168.1.5/SLES-12-Server/s390x/DVD1/
ssh=1 ssh.password=testing linuxrclog=/dev/console
Exemplo 5.10: Parmfile para instalação na VLAN
ro ramdisk_size=50000 MANUAL=0 PORTNO=1 ReadChannel=0.0.b140
WriteChannel=0.0.b141 DataChannel=0.0.b142
cio_ignore=all,!condev,!0.0.b140-0.0.b142,!0.0.e92c,!0.0.5000,!0.0.5040
HostIP= Gateway= Hostname=zsystems.example.com nameserver=192.168.0.1
Install=ftp://user:password@10.0.0.1/s390x/SLES15.0/INST/ usevnc=1
vncpassword=12345 InstNetDev=osa Layer2=1 OSAInterface=qdio ssl_certs=0
osahwaddr= domain=example.com self_update=0
ifcfg=eth0.201=192.168.0.2/16,192.168.0.1

5.6 Usando o emulador de terminal vt220

Os recentes níveis de MicroCode permitem usar um emulador de terminal vt220 integrado (terminal ASCII), além do terminal de modo de linha padrão. O terminal vt220 é conectado a /dev/ttysclp0. O terminal de modo de linha é conectado a /dev/ttysclp_line0. Para instalações LPAR, o emulador de terminal vt220 está ativado por padrão.

Para iniciar o console ASCII no HMC, efetue login no HMC e selecione Systems Management (Gerenciamento de Sistemas) Systems (Sistemas) ID_DA_IMAGEM . Selecione o botão de opção do LPAR e Recovery (Recuperação) Integrated ASCII Console (Console ASCII Integrado).

Para redirecionar as mensagens do kernel no momento da inicialização, do console do sistema para o terminal vt220, adicione as seguintes entradas à linha parameters em /etc/zipl.conf:

console=ttysclp0 console=ttysclp_line0

A linha parameters resultante teria a seguinte aparência:

parameters = "root=/dev/dasda2 TERM=dumb console=ttysclp0 console=ttysclp_line0"

Grave as mudanças em /etc/zipl.conf, execute o comando zipl e reinicialize o sistema.

5.7 Informações mais detalhadas sobre o IBM Z

Localize a documentação técnica detalhada adicional sobre o IBM Z em IBM Redbooks (https://www.redbooks.ibm.com/Redbooks.nsf/domains/zsystems) ou IBM developerWorks (https://www.ibm.com/developerworks/linux/linux390/). A documentação específica do SUSE Linux Enterprise Server está disponível em https://www.ibm.com/developerworks/linux/linux390/documentation_suse.html.

5.7.1 Documentos gerais sobre Linux no IBM Z

Há uma cobertura geral sobre o Linux no IBM Z disponível nos seguintes documentos:

  • Linux on IBM eServer zSeries and S/390: ISP and ASP Solutions (SG24-6299)

Esses documentos podem não refletir o estado atual do Linux, mas os princípios de implantação do Linux descritos permanecem precisos.

5.7.2 Technical Issues of Linux on IBM Z (Problemas técnicos do Linux no IBM Z)

Consulte os documentos a seguir para ver as informações técnicas detalhadas sobre o kernel do Linux e os tópicos de aplicativo. Consulte a Internet para obter versões atualizadas destes documentos com o code drop mais recente (http://www.ibm.com/developerworks/linux/linux390/index.html).

  • Drivers de dispositivo, recursos e comandos do Linux em System z

  • Suplemento de Interface Binária do Aplicativo zSeries ELF

  • Drivers de dispositivo do Linux em System z, usando as ferramentas de dump

  • IBM zEnterprise 196 Technical Guide (Guia Técnico do IBM zEnterprise 196)

  • IBM zEnterprise EC12 Technical Guide (Guia Técnico do IBM zEnterprise EC12)

  • IBM z13 Technical Guide (Guia Técnico do IBM z13)

  • IBM z14 Technical Guide (Guia Técnico do IBM z13)

Também há um Redbook para desenvolvimento de aplicativo Linux em http://www.redbooks.ibm.com:

  • Linux on IBM eServer zSeries and S/390: Application Development (SG24-6807)

5.7.3 Advanced Configurations for Linux on IBM Z (Configurações avançadas do Linux no IBM Z)

Consulte os seguintes Redbooks, Redpapers e links para ver alguns cenários mais complexos do IBM Z:

Imprimir esta página